Pular conteúdo

O Modelo de Feedback AIR

Feedback construtivo é o retorno sobre o desempenho de um indivíduo que pode ser usado para construir (construir) conexões, hábitos e comportamentos bem-sucedidos. O componente construtivo (construtivo) é fundamental porque, com essa mentalidade e abordagem, o feedback aparentemente negativo não se torna desencorajador. Pelo contrário, é um ponto de partida para criar oportunidades de aprendizado e desenvolvimento.

Conheça Liderança do Futuro

Um curso online de 6 semanas para transformar o seu jeito de liderar com base em ferramentas e a mentalidade de um líder do futuro.

Saiba Mais

60-120 min

Período de tempo

2-40 pessoas

Tamanho do grupo

FLIP CHART / QUADRO BRANCO, CANETAS & CADERNOS

Materiais utilizados

Passo 1

Quando as pessoas adquirem o hábito de pedir feedback regularmente e com um quadro claro, os membros da equipe se sentem mais bem preparados quando chega a hora de dar (e receber) feedback construtivo, mesmo que pareça desafiador. O Modelo de Feedback AIR pode ser um quadro útil para feedback construtivo. O acrônimo representa "Ação", "Impacto" e "Pedido". Ação: A "ação" é a ação concreta que você observou pessoalmente. Por exemplo, mencione uma ação específica que você testemunhou diretamente (não de segunda mão). Impacto: Dada essa ação, qual foi o impacto em você? Pedido: Você estaria disposto(a) a_________________? O tipo de pedido precisa ser um *pedido SMART, Específico, Mensurável, Atingível, Realista e Dentro do Prazo. Não faz sentido criar um pedido que não possa ser realizado com os recursos disponíveis ou que não seja viável em relação ao contexto em que você está.

Uma solicitação SMART: Específico: Bem definido, claro e inequívoco; Mensurável: Com critérios específicos para medir o progresso em direção ao cumprimento da meta; Alcançável: Atingível e não impossível de alcançar; Realista: Dentro do alcance, realista e relevante; Oportuno: Com um cronograma claramente definido, incluindo um data de início e uma data prevista..


Passo 2

O Processo: Descrição não acusatória do comportamento do ouvinte.

Ação Quando você __________________ (comportamento observável, exemplo concreto). O efeito desse comportamento no falante. O impacto é __________________ (o impacto desse comportamento em você).

Pedido. Você estaria disposto(a) a __________________? Exemplo: "Quando você se atrasou na manhã de quinta-feira para a reunião, eu me senti estressado(a) porque não estava preparado(a) para cobrir o conteúdo. Você estaria disposto(a) a chegar no horário para nossa reunião amanhã de manhã?" NOTAS DO FACILITADOR: Feedback pode desencadear a necessidade de explicar ou se defender, porque sua própria percepção de uma situação muitas vezes difere da pessoa que está dando o feedback. Para que a comunicação permaneça aberta e incentive um feedback contínuo, é importante fazer o esforço de ouvir o feedback dado. Dessa forma, mostramos que o feedback é bem-vindo, mesmo que seja desagradável. Depois de receber o feedback e ter tempo para refletir sobre ele, se houver desacordos, podemos usar o diálogo para esclarecer.


Passo 3

Variação: Vamos lembrar de também dar feedback apreciativo! Essa fórmula também pode ser usada para fornecer feedback apreciativo. É importante equilibrar o feedback para que não seja inclinado demais para os lados construtivo ou apreciativo do feedback. Exemplo: "Na manhã de quinta-feira, percebi que você criou uma sessão informativa e desafiadora, mas ao mesmo tempo divertida e envolvente para os participantes. O impacto é que você me inspirou, e eu gostaria de criar sessões assim para os meus grupos de aprendizado. Você estaria disposto(a) a se reunir comigo na próxima semana para compartilhar suas principais dicas para projetar esse tipo de sessão?"


Passo 4

Princípios de Feedback que nos ajudam a construir conexões ao ter conversas de feedback. Tempo: Esteja ciente das necessidades e prioridades da outra pessoa. Pergunte se é um bom momento para ter uma conversa de feedback. Eles podem estar com pressa para fazer uma tarefa, etc. Autoconsciência: Esteja ciente de seus próprios sentimentos; não dê feedback se estiver irritado ou com raiva. Outros princípios a serem considerados: Seja descritivo sobre o comportamento que você testemunhou, não sobre a personalidade deles e não com informações de terceiros. Não julgue ou rotule a pessoa. Concentre-se no desempenho (orientado para a tarefa). Não tente mudar ou "corrigir" o outro. Seja claro e breve. Transforme em hábito pedir feedback, não espere por ele. Pergunte à pessoa se você pode dar a ela feedback. Aproprie-se do seu próprio feedback e fale do "eu", não do "nós". Não misture seus próprios pensamentos e sentimentos com os de outras pessoas. Seja sempre específico. Não generalize. Faça feedback de maneira oportuna e regular. Não tente salvar muitas observações para entregar de uma vez. Concentre-se em se conectar com a pessoa. Seja focado na solução em vez de focado no problema.




Fontes e afins

Adaptado do modelo de feedback AIR, conforme ouvido no podcast “Space, Pace, and Grace: How to Handle Challenging Conversations”, com Matt Abrahams e Collins Dobbs (Stanford Graduate School), 15 de outubro de 2021.

O carrinho está vazio